IMPRIMIR

Imprensa

Já resgatamos 360 motivos.
E a fila de espera é imensa

DANIEL LIMA - 19/06/2017

Com a edição desta segunda-feira já são 360 os destaques de textos escritos desde janeiro de 2009 nesta revista digital. Afinal, até onde vão chegar os “10 motivos de indignação com a condenação de jornalista”? Possivelmente superará uma centena de edições, o que corresponderia a mil textos. Ainda temos muito, mas muito a sugerir leitura. Com isso, é provável que ultrapasse a uma centena. Quem sabe chegaremos a duas centenas? 

É uma proposta e tanto fazer o que chamaria de tomografia do que produzi nos últimos oito anos para o leitor entender por que querem tanto a minha cabeça. Já havia perdido a noção do quanto batalho por uma sociedade. E olhe que nessa série restringi o período a partir do formato de CapitalSocial em janeiro de 2009. Não inseri textos anteriores e tampouco da revista LivreMercado, precursora desta publicação. 

Diria que com Ademir Médici, dono da memória desta Província, somos os únicos exemplares públicos de comprometimento persistentemente burro com a região. No meu caso é burrice juramentada. No caso de Ademir Médici, a burrice fica por minha conta e risco, sempre metaforicamente. 

Há outro burro na praça digital a meter a boca no trombone, o também amigo jornalista Donizeti Raddi com seu blog de frequência intermitente. Raddi é um cara mais tranquilo, valoriza também outras coisas da vida. Mas não é porque é mais econômico que deixa de ser igualmente relevante à leitura de quem não se conforma com uma sociedade desorganizada. Raddi, como Ademir um velho companheiro dos tempos de Diário do Grande ABC, é aquele centroavante que fica a rondar a área, participa seletivamente do jogo mas, pimba, liquida a fatura quando decide ir ao encontro da bola de uma temática interessante. Lembram-se de Romário dos bons tempos? Pois podem chamar Raddi de Romário do jornalismo regional. 

Caindo na real

No meu caso, uma leitura continua do acervo desta revista digital é o melhor caminho para compreender porque ficou muito mais difícil me levarem no bico com anúncios supostamente restauradores da Província do Grande ABC. Sou macaco velho e escolado. Tenho direito adquirido ao ceticismo. Cometi erros como redator e editor da revista LivreMercado por acreditar que o Grande ABC era mesmo Grande ABC, não Província. Costumo dizer que erramos quando acreditamos no futuro da região. Quebramos a cara todas as vezes. Mas aprendemos. 

Resumindo: sou gato escaldado como jornalista e, por conta disso, tenho afiado garras de desconfiança sobre tudo e sobre todos que aparecem no noticiário. Está aí o prefeito Orlando Morando que não me deixa mentir. 

Sou como jornalista o que deveria ser como pessoa física, ou seja, alguém disposto essencialmente a duvidar sempre. Não imaginam os leitores o quanto sofro por ter aprendido a ser jornalista, desgarrando-me da essência de pessoa física que veio do Interior e acreditava sinceramente em tudo e em todos. 

Leinad Amil não tem vez 

Há uma porção de vagabundos sociais na região que gostaria mesmo que eu fosse o Leinad Amil, ficção que criei e que é o contrário de Daniel Lima. Podem tirar o cavalinho da chuva.  Afinal, o máximo que posso ser é uma divisão não deletéria de Daniel Lima pessoa jurídica, ou seja, jornalista, e Daniel Lima pessoa física, aquele que luta diariamente para se desgarrar do Daniel Lima nascido em Guararapes, Interior do Estado, filho do seu Gabriel e de Dona Maria, sete irmãos para dividir equitativamente o pão nosso de casa dia. Talvez esteja aí, na divisão do pão nosso de cada dia que vem desde o berço, minha irritante inquietação de pessoa física e também de pessoa jurídica com o além-muro familiar.  

Por essas e por outras acho que vale a pena continuar com os “10 motivos”. O meritíssimo de Santo André deveria conhecer mais e melhor quem lhe aparece à frente como réu. E, principalmente, quem se apresenta como vítima. “10 motivos” que somarão tranquilamente mais de “Mil textos” procura facilitar eventuais decodificações aniquiladoras dos detratores sistemáticos ou de ocasião. 



IMPRIMIR