IMPRIMIR


Imprensa

Nove meses de cinco anos que
transformariam o Diário (final)

DANIEL LIMA - 14/07/2020

Encerramos com esta edição (originalmente de número 61) a série que retratou os nove meses em que atuei como diretor de Redação do Diário do Grande ABC, entre 2004 e 2005, após passar mais de 15 anos em outras funções na área, entre os anos 1970 e 1986. 

Trata-se, o texto, de uma despedida já prevista. Interrompia-se o que estava planejado e em execução para transformar a publicação mais tradicional do Grande ABC. O futuro que chegou aos poucos talvez seja a sentença mais ajuizada às ações que ali exerci juntamente como um grupo excepcional de profissionais. 

Cumprimos, todos, uma missão extraordinária dois dias antes de minha saída: realizamos um encontro histórico envolvendo todas as lideranças da Redação. Tudo documentado em áudio encaminhado à direção da companhia. Foram três horas e meia de gravação. Emocionante, esclarecedora e libertadora.  

A sociedade consumidora de informação do Grande ABC contava com um quadro de malucos que honravam a profissão muito além da conta. Leiam a última edição da newsletter Capital Digital Online.

 Edição 61 – quarta-feira, 20 de abril de 2005 

Workshop é farol que entra para

a história do Diário do Grande ABC

 DANIEL LIMA  

Deveremos receber no final da tarde de hoje todas as cópias do CD do workshop de ontem com o Conselho de Redação do Diário do Grande ABC. Foi um encontro histórico para a companhia. Os relatos individuais de quem tem a responsabilidade de comandar a informação que os leitores consomem são uma exumação jamais executada. 

Os problemas que enfrentamos são imensos. Só não superam a paixão por fazer jornal. A honradez profissional, a independência crítica, o compromisso com a empresa, a preocupação com o futuro da região, tudo isso e muito mais foram colocados de forma brilhante por todos os expositores. 

Tivemos um mosaico de informações que, por ser absolutamente espontâneo, sincero, inquietante, jamais conseguiria alcançar tamanha preciosidade relatorial se fosse treinado exaustivamente numa proposta de suposta insurreição, como alguns, infelizmente, caracterizaram o evento. 

Como disse ao final daquele encontro, tenho orgulho do Conselho de Redação do Diário do Grande ABC. Aliás, como definiu um dos participantes, os vejo como heróis da resistência. Uma coleção de frases antológicas oferece aos ouvintes do CD uma reserva de dignidade que, quem quer que seja que um dia venha a estudar a história do Diário do Grande ABC, jamais deverá subestimar. 

Em realidade, o Conselho de Redação não se manifestou individualmente e coletivamente apenas em nome de seus interesses. As declarações certamente resgataram o sentimento de todos aqueles que, dotados do mesmo caráter, vivenciaram ao longo de décadas o ambiente desta Redação. Alguns déspotas que ocuparam o cargo de Diretor de Redação foram cirurgicamente mencionados, principalmente porque jamais se comportaram com a dignidade da classe. 

Como Diretor de Redação do Diário do Grande ABC me sinto gratificado por compartilhar tudo isso com o grupo de profissionais que escolhi pessoalmente ao longo desses nove meses de trabalho. Aqueles que escolhi, contratados pela empresa antes ou depois de minha chegada, aqueles que escolhi, repito, estão comprometidos com o Planejamento Estratégico Editorial que, em suma, não é algo diferente de irreversível opção por um jornalismo regional.  

Repetindo o que disse ao final daquele encontro, o Conselho de Redação não é obra do acaso, do compadrismo, do corporativismo, do comodismo, de qualquer dessas patalogias tão comuns em ambientes em que o amanhã não interessa. 

O Conselho de Redação cujos membros tenham sido escolha profissional minha, por adoção ou por indicação própria, é resultado de nove meses de embates, de lutas incessantes pela qualidade, defrontando-se com aquelas montanhas de problemas que estão esmiuçadas na gravação a que todos terão acesso. 

Bendita a companhia que tem profissionais com tamanho comprometimento regional. O farol de luminosidade do Diário do Grande ABC do futuro está documentado porque infiltrou-se nos meandros do passado que explicam o presente.



IMPRIMIR