Esportes

Vaga da discórdia: um resumo
para descomplicar o problema

  DANIEL LIMA - 19/08/2019

Prometi a integrantes de lista de um aplicativo de mensagens que revelaria na edição de hoje a fórmula de o Água Santa de Diadema disputar a Série A1 (Primeira Divisão para os mais convencionais) do Campeonato Paulista do ano que vem. Decidi deixar a matéria para a edição de amanhã. Resolvi fazer um balanço do que chamo de “vaga da discórdia”. Esta é a 27ª abordagem que faço. Na verdade, uma abordagem-balanço. 

A primeira vez que usei a expressão “vaga da discórdia” foi na edição de 27 de abril. Muitas matérias sobre a questão já haviam sido analisadas neste espaço. Encontrei o que chamaria de mote jornalístico. A popularização de “vaga da discórdia” dá-se naturalmente. 

Vou repassar aos leitores os primeiros trechos das matérias que produzi. Nenhum jornalista se dedicou tanto ao assunto. Não é a primeira vez que pego pelo chifre uma questão que tende a se tornar mais importante após cada nova investida. Já o fiz tantas vezes. 

Para terem uma ideia, só o aumento abusivo do IPTU em Santo André, ano passado, comportou quatro dezenas de matérias. Até que o prefeito Paulinho Serra voltou atrás. Vários daqueles textos estão ainda hoje entre os de maiores audiências. Houve sincronismo perfeito com a demanda da sociedade. Para horror dos políticos, claro. 

Vou reproduzir abaixo, portanto, com as respectivas datas, em ordem crescente, os primeiros trechos de cada uma das 26 análises que preparei. Acho que esse assunto vai longe. Sequencialmente, ou seja, num mesmo fôlego, poderá até superar o IPTU de Santo André. Outros temários são muito mais longevos, como o caso Celso Daniel, com mais de 150 artigos, de produção não rigidamente consecutiva. Veio ao longo dos anos. 

Vamos então ao panorama já histórico da vaga da discórdia. Acho que vale a pena acompanhar. Antes disso, uma prova aberta à verificação: muito, mas muito antes de se definirem os primeiros colocados da Série A2, já escrevera sobre o tema e expressara avaliação do regulamento que não confere ao terceiro colocado direito algum de disputar a Série A1 do ano que vem. 

O pleiteante é o Água Santa, mas poderia ser o Santo André, o Internacional de Limeira, o XV de Piracicaba e outros -- que não mudaria nada. O regulamento é composto de cláusulas pétreas, e, portanto, não pode ser vilipendiado, sob pena de sugerir o acovardamento de quem é passado para trás.  

RB e Bragantino fazem negócio 

que pode salvar o São Caetano 

 25/03/2019 

 O RB Brasil pode virar RB Bragantino ainda nesta temporada, mais precisamente nos próximos dias, e com isso o São Caetano se salvaria do rebaixamento à Série B do Campeonato Paulista. O negócio entre o Red Bull Brasil e o Clube Atlético Bragantino é considerado fechado. A manutenção do São Caetano no principal campeonato estadual do País, após ser rebaixado na semana passada, depende do bom senso da Federação Paulista de Futebol. Seria um acinte técnico a alternativa de não apenas dois, mas os três primeiros classificados da Série B Paulista preencherem as vagas que se abririam na Série A. 

FPF tem tempo de sobra para 

manter São Caetano na Série A

 26/03/2019 

 A Federação Paulista de Futebol vai ter tempo de sobra para manter o São Caetano na Série A (oficialmente Série A-1) do Campeonato Paulista. A antiga Primeira Divisão conta com participação de 16 equipes, 10 das quais no circuito de luxo do Campeonato Brasileiro da Série A e da Série B. O São Caetano ficou na penúltima colocação na fase de classificação e seria rebaixado pelo regulamento aprovado no Conselho Técnico realizado no fim do ano passado. Mas com a fusão entre o RB Brasil e o Clube Atlético Bragantino, tudo mudou porque vai reivindicar o direito de herdar a vaga. Agora será preciso esperar reunião do Conselho Técnico da Federação Paulista de Futebol no último trimestre deste ano para o São Caetano seguir oficialmente na competição. O São Bento, último colocado, está inexoravelmente rebaixado. (...) O regulamento da Série A do Campeonato Paulista não faz qualquer menção à possibilidade de a terceira equipe mais bem classificada da Série B (oficialmente Série A-2) ocupar eventual terceira vaga, no caso com o rebaixamento do São Bento e do São Caetano e o descarte do Bragantino ou de Red Bull. (...) qual a possibilidade de a Federação Paulista de Futebol optar pelo acesso de três times da Série B à Série A e confirmar o rebaixamento do São Caetano, juntamente com o do último colocado, São Bento, além do Bragantino engolido pelo Red Bull Brasil? Os regulamentos dos dois campeonatos estaduais não fazem qualquer referência à situação que seria provocada pela operação RBB. Então, sobra o bom senso. Sem manipulações. O São Caetano reuniria muito mais méritos que o terceiro colocado da Série B para seguir na Série A do Campeonato Paulista.  

São Caetano desiste de desistir 

da vaga na Série A do Paulista

 27/03/2019 

 O São Caetano poderá ir às últimas instâncias esportivas para seguir na Série A (Primeira Divisão) do Campeonato Paulista. O presidente Nairo Ferreira protagonizou ontem espécie de Tabajarismo Futebol Clube, depois de um encontro com o presidente da Federação Paulista de Futebol, Reinaldo Bastos. Nairo Ferreira anunciou desistência da disputa pela vaga. Horas depois, pressionado por conselheiros do clube, voltou atrás. É possível que ainda hoje retorne à FPF para comunicar a decisão. Se o dirigente máximo do São Caetano seguir à risca a cartilha dos conselheiros mais rebeldes, a trapalhada do Departamento Técnico da Federação Paulista de Futebol vai causar problemas para o presidente Reinaldo Bastos. Especialista ouvido por influentes conselheiros do São Caetano assegura o direito de o clube permanecer na Série A, ocupando a vaga a ser liberada por Bragantino ou RB Brasil, que estão se fundindo em uma única agremiação.

Regulamento torna vaga 

do São Caetano intocável

 28/03/2019 

 Há certas situações que não permitem meio termo, falsa diplomacia ou qualquer coisa que se assemelhe à malandragem explícita ou subjetiva. O São Caetano continuará integrado aos clubes da Primeira Divisão (Série A) do Campeonato Paulista, apesar de ter terminado a competição em penúltimo lugar, à frente do São Bento de Sorocaba. O regulamento da competição determina o rebaixamento de duas equipes na temporada. Serão rebaixados o RB Brasil (ou Bragantino) e o São Bento de Sorocaba. Basta a Federação Paulista de Futebol não dar ouvidos a gente comprometida com o passionalismo clubístico ou qualquer coisa do gênero de malabarismos interpretativos. (...). Coloquei o ovo de pé. Ou seja: desmistifiquei a ideia de que o terceiro colocado da Segunda Divisão poderia ocupar a vaga na Primeira Divisão após as negociações que culminaram na incorporação do Clube Atlético Bragantino pelo Red Bull Brasil. A vaga suplementar que se abriu na Primeira Divisão será ocupada pelo São Caetano. O São Bento, último colocado, não tem escapatória: será mesmo rebaixado. Exceto se uma operação semelhante à do RBB e do Bragantino envolver igualmente duas equipes da Primeira Divisão. Aí, as duas vagas do rebaixamento automático seriam ocupadas pelos dois primeiros colocados da Segunda Divisão. 

Revelamos o mapa da mina que 

reforça direitos do São Caetano

 01/04/2019 

 A direção do São Caetano já anunciou plena confiança no discernimento do Departamento Técnico da Federação Paulista de Futebol, depois que alertei para o fato de que o regulamento garante a equipe na Série A-1 (Primeira Divisão) do ano que vem, embora tenha sido rebaixada em campo. O São Caetano vai ocupar o lugar a ser oficialmente deixado pelo Red Bull ou Bragantino. As duas equipes são integrantes da Primeira Divisão, mas viraram uma. Um fato inédito na história do principal campeonato estadual do País. Essa abertura de vaga equivale na prática regulamentar a rebaixamento automático à ultima divisão do futebol paulista.

Primeira Divisão: São Bernardo 

fica com a vaga do São Caetano?

 02/04/2019 

 O São Bernardo (ou outro clube de qualquer divisão do futebol paulista) poderá herdar a vaga deixada pela fusão do Red Bull Brasil (RBB) e Clube Atlético Bragantino na elite do futebol do Estado. O São Bernardo seria o mais provável porque já estaria em negociações com a direção do RBB, que comprou as vagas do Bragantino na Série A-1 do Paulista e na Série B do Brasileiro. A iniciativa rebaixaria legalmente o São Caetano à Série A-2 (Segunda Divisão) da próxima temporada. Provavelmente haverá desmentidos da direção do São Bernardo e do RBB, mas a probabilidade de o negócio prosperar é caudalosa. O RBB vai vender a vaga do Bragantino na Primeira Divisão de São Paulo porque já conta com vaga própria após a fusão com o clube de Bragança Paulista. O regulamento da Primeira Divisão não impede negociações de vagas, assim como o regulamento do Campeonato Brasileiro. Filigranas jurídicas não valem a pena ser esmiuçadas, mas asseguram legitimidade à iniciativa.

São Caetano parabeniza FPF 

pelo regulamento da Série A-2

 09/04/2019 

 Num documento preparado por jurista especializado, contratado na última semana, o São Caetano deu um drible da vaca em quem acreditava na possibilidade de opor-se à Federação Paulista de Futebol por conta do regulamento da Série A-2 que, equivocamente na visão de nichos mal-informados da mídia esportiva, sugeriria que o terceiro colocado da competição de Acesso disputaria a Série A-1 do ano que vem. O documento, que reproduzimos integralmente, segue a seara do que cansamos de publicar neste site – como se verá nos links abaixo. Ou seja: não há a menor sombra de dúvida sobre os direitos do São Caetano em permanecer como participante da Série A-1 do ano que vem, mesmo após ficar na penúltima colocação nesta temporada, caso a vaga que se abra com a fusão de Red Bull e Bragantino, integrantes da competição, não seja preenchida por equipe de qualquer divisão do futebol paulista, dentro dos parâmetros de legalidade esportiva.  

FPF pode agravar trapalhada 

do presidente do São Caetano

 10/04/2019 

 O presidente do São Caetano cometeu ontem uma trapalhada que só poderá ser superada em estragos por uma trapalhada ainda maior da Federação Paulista de Futebol. O que Nairo Ferreira de Souza fez somente a direção técnica e a presidência da FPF poderão tornar café pequeno. Seria uma patetice dupla, dessas de arrancar o último fio de cabelo. Uma bobagem somada a outra não seria uma bobagem qualquer. Seria uma dose dupla de incompetência. O discreto presidente da FPF, Reinaldo Bastos, certamente impediria o desastre.  (...). Qual foi a patetice do presidente do São Caetano que seria superada pela patetice do Departamento Técnico da Federação Paulista de Futebol? O dirigente do clube da região simplesmente assinou um documento produzido por um especialista contratado pelo próprio clube e, em seguida, ao distribuir cópia do material à Imprensa, negou o próprio documento. Mais que isso: atacou a FPF indevidamente. Desastradamente. E qual seria a intervenção ainda mais desastrosa da Federação Paulista de Futebol? Basta que negue tudo o que produziu em termos de regulamento do Campeonato Paulista da Série A-2. 

FPF corrige: “classificado para” 

assegura direito ao São Caetano

 11/04/2019 

 O presidente da Federação Paulista de Futebol é um homem reservado, dificilmente coloca a mão na cumbuca de polêmicas, mas já teria exposto a alguns dirigentes da entidade que torce para que a vaga a ser deixada na Série A-1 em consequência da fusão entre Bragantino e Red Bull seja resolvida legalmente, sem precisar dar ouvidos às manipulações interpretativas que agridem a clareza do regulamento da Série A-2. A mudança efetivada na competição a partir de 2017 não deixa dúvida de que o São Caetano, penúltimo colocado, seguiria como integrante da Série A-1. É a esse ponto que Reinaldo Bastos não pretende chegar. Ou seja: ele sonharia com uma solução providencial, que não exigisse intervenção da FPF. Caso específico de aparecer um clube que adquira a vaga que sobra da fusão entre Red Bull e Bragantino. (...). Qual foi a mudança no regulamento da Série A-2 que torna os direitos do São Caetano mais explicitamente invioláveis? Já escrevi tangencialmente sobre isso e só estranho que o São Caetano não o tenha utilizado no documento protocolado na Federação Paulista de Futebol (...) E qual é a grande mudança no regulamento da Série A-2 que garantiria a legitimidade da vaga ao São Caetano? Simples. Resume-se aos verbetes “participante” e “classificado”, nos dois casos acompanhados respectivamente, de “do” e “para”.  Não fosse tão relevante a diferença entre uma expressão (“classificado para”) e outra (“participante do”), a FPF não teria introduzido a mudança a partir da Série A-2 de 2017. 

Ética seletiva glorifica RBB 

e discrimina São Caetano

 12/04/2019 

 Os hipócritas de ocasião são os principais agentes de defesa de uma tese furada disseminada pelos ignorantes que abundam nichos do jornalismo esportivo de torcida organizada e o mundo diretivo do futebol vocacionado ao ressentimento clubista. É claro que estou me referindo mais uma vez a algo que ainda vai longe: os direitos legítimos do São Caetano permanecer na Primeira Divisão (Série A-1) do Campeonato Paulista. (...). Os fingimentos éticos que marcam o caso em que se colocam no tabuleiro da baiana de idiossincrasias a ocupação da provável vaga de integrante da Série A-1 estão por trás da falsidade discursiva dos cegos de plantão que fazem papel de arautos da moralidade esportiva. 

Quando a redundância é útil 

para combater as espertezas

 16/04/2019 

 Quem procura chifre de casuísmo interpretativo na cabeça de cavalo do regulamento da Série A-2 do Campeonato Paulista desta temporada deve se preocupar com mais uma má notícia. Não bastasse tudo que já apresentei com base no próprio documento oficial da Federação Paulista de Futebol, tenho mais alguma coisa importante a mostrar. São mais alguns trechos do regulamento em questão. Os novos enunciados poderiam ser desprezados. O argumento dos ilusionistas é frágil, mas vou em frente. Não custa usar a abundância para combater a ignorância, quando não a má-fé. (...) Está claro no regulamento que “classificado para”, do Parágrafo Primeiro do Artigo Nono, se refere especificamente às equipes semifinalistas da Série A-2. E que o terceiro ocuparia o lugar de um dos primeiros colocados desistente dentro dos limites dos semifinalistas. 

O que a FPF deve fazer para 

acabar com especulações?

 17/04/2019 

 Faço essa pergunta porque é preciso que alguém a faça. Mas, mais que fazer, porque fazer é fácil, também é preciso iluminar o caminho à resposta, se necessário. Afinal, o que a direção da Federação Paulista de Futebol deve fazer para acabar com a farra da especulação que quer colocar um time fantasma da Série A-2 na Série A-1 do Campeonato Paulista do ano que vem, diante da possibilidade de o Red Bull, que se fundiu ao Bragantino, desistir da competição e, também, sequer cogitar participar de uma parceria com equipe de alguma divisão inferior? Pergunto: seria providencial a Federação Paulista de Futebol vir a público antes da rodada decisiva da semifinal deste fim de semana da Série A-2 do Campeonato Paulista, a fim de eliminar de vez a dúvida plantada pelos industrializadores da lorota de que haveria uma vaga disponível na Série A-1 do ano que vem ao terceiro melhor colocado da Série A-2 desta temporada?

Vaga da discórdia: RBB pode 

colocar ponto final com venda

 24/04/2019 

 Não faltaram e não faltarão bobagens ingênuas e bobagens eticamente condenáveis produzidas por gente que não se deu ao luxo de ler o regulamento para se posicionar sobre a possibilidade de ocupação de vaga na Primeira Divisão (Série A-1) supostamente aberta pelo Red Bull Brasil, após incorporar o Bragantino. A cada santo dia surge uma nova-velha informação, enquanto a direção da Federação Paulista de Futebol, cuidadosíssima, prefere jogar com o tempo. O Água Santa é a peça móvel da vez para roubar os direitos regulamentares do São Caetano. (...). Fosse qualquer time do Interior, representadíssimo em determinados sites que enchem a bola de todo mundo porque encher a bola de figurantes e protagonistas do futebol é uma missão mais que explícita, haveria muito mais gente disposta a fabricar alucinações interpretativas. (...). Se até a realização do Conselho Técnico da Primeira Divisão Paulista, em setembro ou outubro deste ano, o Red Bull virar para valer Red Bull Bragantino, compulsoriamente estará impedido de disputar a Primeira Divisão Paulista diretamente ou em nova parceria. A FIFA proíbe que uma mesma agremiação ocupe mais de uma vaga na mesma competição.

Vaga da discórdia: Água Santa 

resolve botar boca no trombone

 16/05/2019 

 Deu no site “Futebol Interior” de ontem e no Diário do Grande ABC de hoje que o presidente do Água Santa de Diadema resolveu botar a boca no trombone para reivindicar uma vaga na Primeira Divisão (Série A-1) do Campeonato Paulista do ano que vem. Demorou para o time de Diadema reagir. Desde que a Segunda Divisão terminou, o que aparentemente restou para o Água Santa sentir o cheirinho de Primeira Divisão foi contratar o técnico Fernando Marchiori e praticamente todos os titulares do Santo André, este sim legitimamente classificado. 

Água Santa deixa de subir em 

campo e quer atalho improvável

 17/05/2019 

 Não fosse o futebol um caixote de alquimias permanentes nos bastidores, diria sem pestanejar que o Água Santa é carta fora do baralho da Primeira Divisão (Série A-1) do Campeonato Paulista do ano que vem. A vaga que até prova em contrário pertence ao Red Bull não estaria ao alcance da equipe de Diadema, como pretende o presidente Paulo Sirqueira. Há muitas alternativas, mas nenhuma viabilidade. Apenas porque futebol tem um jogo de bastidores muitas vezes indecifrável não cravo derrota fragorosa do Água Santa em apropriar-se fora de campo do que deixou escapar pelos vãos da soberba diante do Santo André na fase decisiva da Segunda Divisão recém-encerrada.

Uma vaga e três concorrentes: 

como ficará a Primeira Divisão?

 01/07/2019 

 Já que meti a mão na cumbuca, vou mais fundo. A questão envolve a ocupação da vaga do Red Bull na Série A1, Primeira Divisão de São Paulo, na temporada de 2020. Há duas equipes que reivindicam o espaço, e uma terceira que, ainda desconhecida do público, estaria se articulando para dar um drible da vaca na hierarquia do futebol paulista. Seria o Votuporanguense, integrante da Série A2 (Segunda Divisão), mas é possível que existam outros os concorrentes. De qualquer modo, temos uma vaga para pelas três equipes. Decidi tomar uma iniciativa que a imprensa esportiva já deveria ter tomado ao invés de atuar como torcida organizada. Enviei a dois especialistas em direitos esportivos série de perguntas que tratam do assunto. 

Vaga da discórdia: vejam as 

perguntas aos especialistas

 02/07/2019 

 Como anunciamos na edição de ontem, reproduzimos hoje as nove perguntas endereçadas a dois especialistas em Direito Esportivo. Eles foram previamente convidados a responder as questões que envolvem uma fantasia chamada “terceira vaga” na Primeira Divisão (Série A1) do Campeonato Paulista. As questões apontam, mais uma vez, esse impasse criado quem sabe com finalidades nem sempre transparentes e republicanas. Afinal, vivemos no País de prestidigitadores contumazes. Exatamente por conta disso preparamos o material que se segue.   

Operação Bola Quadrada 

já investiga caso Red Bull

 08/07/2019 

 Tudo é tratado sob sigilo absoluto. Além de motivos mais que indispensáveis, porque confidencialidade faz parte de investigações criminais, não está fora de cogitação novos atropelos de demandas de outras áreas de um País que persiste no aperfeiçoamento de bandalheiras. Com isso, as ações seriam novamente prorrogadas. Trata-se do que informalmente é rotulado de Operação Bola Quadrada, marca provisória que poderá ser confirmada ou não no futuro. As investigações foram deflagradas já há algum tempo por policiais federais. São um desdobramento esportivo da Operação Lava Jato em território Paulista.

FPF, Red Bull, São Caetano 

e Água Santa: salvem a ética

 11/07/2019 

 Como deveria ser decidida a vaga que se abrirá na Série A1 do Campeonato Paulista da próxima temporada? Essa é uma questão que precisa ser levada a sério, muito a sério, pelos quatro maiores envolvidos numa disputa que ameaça a credibilidade principalmente da direção da Federação Paulista de Futebol.  Para que não paire dúvidas, vou elencar os respectivos papeis que os envolvidos deveriam exercer. Afinal, quem vai ocupar a vaga que se abriria com a desistência do Red Bull por conta da negociação que possibilitou a incorporação do Bragantino?

São Caetano ganha reforço do 

Água Santa na luta pela vaga

 12/07/2019 

 O São Caetano precisa mandar um agradecimento especial ao advogado contratado pelo Água Santa de Diadema no caso da chamada vaga da discórdia na Série A1 (Primeira Divisão) do Campeonato Paulista da próxima temporada. Em entrevista publicada hoje no Diário do Grande ABC (sobre a qual fazemos essa análise), Cristiano Caús avocou direitos inexistentes da equipe de Diadema e, na tentativa de eliminar o São Caetano da reivindicação de permanecer na competição, contribuiu involuntariamente para fortalecer a empreitada do adversário regional. Tiro essa conclusão levando em conta exclusivamente a reportagem do Diário do Grande ABC. 

PF, Red Bull, São Caetano e 

Água Santa: muitos equívocos

 02/08/2019 

 Depois de uma longa folga, acho que vale a pena voltar ao debate sobrea ocupação da potencial vaga que se abriria na Série A1 do Campeonato Paulista do ano que vem, ante eventual desistência do Red Bull de Bragança Paulista. Qualquer que seja o resultado no Conselho Técnico da Federação Paulista de Futebol, provavelmente no final de setembro, a lisura ética poderia estar comprometida. Um festival de erros marca esse caso que poderia ser definido como “A vaga da discórdia”. Se houver, além do rompimento ético, também uma escolha afrontosa ao regulamento da Série A1 e da Série A2, estará completo o circo de equívocos. Como sou cético por natureza, sinto que se cometerá uma barbaridade. Seria impossível não exalar um cheiro nauseabundo de algo carregado de impurezas. Um enredo tão absurdamente construído não teria, portanto, um desfecho saudável. Para dizer o mínimo. 

Rebaixamento do Red Bull vai 

garantir São Caetano na Série A1

 08/08/2019 

 A direção do Red Bull já comunicou informalmente a Federação Paulista de Futebol que, por força da legislação esportiva, vai desistir de disputar a Série A1 do Campeonato Paulista no ano que vem, mas não abdicará de seguir disputando competições. Por isso, já programa o que poderia ser chamado de auto-rebaixamento à Série A2 do ano que vem. Isso quer dizer que, quando a decisão for oficialmente anunciada pela direção da FPF, o São Caetano festejará manutenção na competição. Qualquer enredo fora dessa configuração é golpe. 

Deixem de preguiça: tratem de 

ler o regulamento da Série A2

 09/08/2019 

 A propósito do que chamo de “vaga da discórdia” do Campeonato Paulista da Série A1 da próxima temporada, que ainda permeia debates e pode ter desdobramentos inclusive do Código de Defesa do Consumidor, o que impediria a realização da competição, vou reproduzir mais uma vez, e agora de forma mais enfática, o Artigo Nono, Parágrafo Primeiro do regulamento da Série A2 desta temporada. Antes disso, para dar aos leitores mais uma prova de que não tenho compromisso com o erro, listo algumas tipologias de fraudadores potenciais do que está expresso à ocupação do espaço que seria aberto pelo Bragantino Red Bull. Ou seja: vou categorizar os apologistas da tese de que o terceiro colocado da Série A2 teria direito a acesso. Quem são eles? Pervertidos interpretativos? Inocentes úteis? Vamos às variáveis possíveis: 

FPF versus FPF: até quando 

presidente incentivará golpe?

 12/08/2019 

 Para que ninguém veja fantasma interesseiro onde só existe jornalismo com responsabilidade social, vou logo adiantando: não darei trégua à direção da Federação Paulista de Futebol. Mais especificamente: vou ser o que chamaria de ombudsman não autorizado da entidade, em defesa da honra da entidade, em defesa da coerência da entidade, em defesa da tradição da entidade. O que vou fazer? Vou cobrar até quando for possível que a FPF respeite o regulamento que sua própria assessoria técnica concebeu. Fora isso, o cheiro fétido de golpe prevalecerá. Um golpe que precisaria, inclusive, ser investigado nas entranhas mais nebulosas do futebol. 

Um desafio à FPF: prove que 

terceiro colocado pode subir

 15/08/2019 

 Não, não vou esmiuçar hoje uma análise sobre o desafio que lanço à presidência da Federação Paulista de Futebol. O que está no centro do palco de debates é a legalidade de a entidade impor goela abaixo do próprio regulamento que concebeu o acesso do terceiro colocado da Série A2 desta temporada. A equipe abençoada pela FPF ocuparia a vaga que deverá ser deixada pelo Red Bull, após associar-se ao Bragantino. Vou deixar para amanhã ou para a edição de segunda-feira o que estou anunciado hoje. O que quero mesmo é dar uma colher de chá ao presidente Reinaldo Bastos para que saia de uma bifurcação decisória implacável: ou ele é um gênio ou é um falastrão. 

Quatro problemas e uma única 

saída para FPF evitar escândalo

 16/08/2019 

 O presidente da Federação Paulista de Futebol tem quatro desafios a superar para impedir que se cometa uma barbaridade esportiva com repercussões escandalosas para uma administração essencialmente discreta. Reinaldo Bastos é em última instância quem vai decidir quem vai ocupar a possível vaga que o Red Bull abriria na Série A1 do Campeonato Paulista. Em várias ocasiões, sempre longe da oficialidade declaratória, o dirigente manifestou-se favoravelmente ao terceiro colocado da Série A2. Trata-se de um equívoco monumental que abriria as portas do Judiciário e da Justiça Esportiva. É disso de que tratamos mais uma vez. Há quatro cavaleiros do apocalipse ético e legislativo diante de Reinaldo Bastos. Caberá a ele uma decisão que se confirmaria em assembleia dos clubes.

Leia mais matérias desta seção: