Política

Ailton Lima garante especialistas
que Paulinho Serra só prometeu

  DANIEL LIMA - 08/01/2020

Pretendo repetir com alguns candidatos às prefeituras do Grande ABC nesta temporada o bate-papo que mantive ontem à tarde durante três horas com Ailton Lima, ex-vereador e ex-secretário de Desenvolvimento Econômico. Não vou procurar nenhum desses candidatos. Eventuais assessores interessados encontrarão portas abertas ao diálogo.

O resultado inicial do encontro com Ailton Lima no Café da Vila não poderia ser melhor: o principal adversário de Paulinho Serra garantiu enfaticamente que uma das medidas iniciais que tomará caso seja eleito é fazer o que o atual ocupante do Paço Municipal prometeu a este jornalista e não cumpriu: contratar uma consultoria nacional ou internacional especializada em competitividade econômica para desenhar o futuro de Santo André.

Consultoria especializada é o resumo que abarca gente do ramo que sabe distinguir carne de pescoço e filé mignon de investimentos.

Grupo de empreendedores

Mais que a contratação de uma consultoria de experts em economia, Ailton Lima pretende constituir o que sugeri e entreguei a Paulinho Serra, que não levou adiante: montar um grupo com visão empreendedora que dialogará com os especialistas em competitividade e com servidores da Administração Municipal para, em conjunto, estabelecerem medidas de curto, médio e longo prazo. O pressuposto é retirar Santo André do marasmo econômico que vem de longe e se agrava na medida em que os concorrentes mais fortes do Estado de São Paulo apertam o cinto em busca de produtividade.

Desenvolvimento Econômico não é uma expressão qualquer que carrega no ventre de subjetividade o exclusivismo de tratamento ao capital. Desenvolvimento Econômico faz bem à qualidade de vida de qualquer Município. É a diferença entre sustentabilidade social sob o controle do Estado em forma de Município e políticas varejistas cujos resultados garantem o presente, mas não asseguram o futuro.

Grupo formado e decepcionado

Quem acompanha este site sabe muito bem o quanto foi decepcionante ver um projeto aprovado de bate-pronto por Paulinho Serra ser jogado na lata do lixo do descaso.

O grupo de conselheiros especiais já estava formado, preparado para colaborar voluntariamente, e o que tivemos na sequência foi algo como um passa-moleque do prefeito, que alterou completamente os cromossomos da proposta. Resultado? A desistência tanto deste jornalista quanto dos demais convidados. O prefeito Paulinho Serra anunciou que faria do Conselho Especial de Assessoramento Econômico plataforma de transformações. Até agora, nadinha de nada.

Ailton Lima é tão parente meu quanto Paulinho Serra do senador José Serra. Faço essa observação porque não faltam atiradores de cano curto que sempre surgem para tentar desclassificar adversários políticos do prefeito de Santo André (no caso, Ailton Lima), associando-os a jornalistas independentes (não por acaso este profissional).

Feito esse reparo, o que posso adiantar aos leitores é que Ailton Lima sabe a frustração que sentiu à frente da Secretaria de Desenvolvimento Econômico de Santo André na gestão de Paulinho Serra.

Valorização da economia

Foi por pouco tempo, aliás, que esteve lá. Reconhece que medidas consideradas varejistas foram aplicadas, como a aceleração do processo de criação de empresas e de liberação de obras, mas que, quando se observa o cenário por um lado mais robusto, de medidas consistentes à interrupção do processo de enfraquecimento da economia de Santo André, a missão fracassou.

E fracassou porque tanto na Prefeitura de Santo André quanto a dos demais municípios da região as secretarias de Desenvolvimento Econômico são um estorno e um convite à fabricação de cadáveres curriculares.

Currículos manchados

Não há passado por mais brilhante que seja a suportar a mancha de mandar imprimir o nome e o cargo de Secretário de Desenvolvimento Econômico em qualquer cidade da região. Todos sofrem e sofreram do mesmo mal. O mal de quem não é visto como peça de engrenagem administrativa, quando a importância do cargo deveria alçar os ocupantes à ribalta estratégica.

Exatamente por ter experimentado o veneno do descaso institucional com uma pasta que concorda ser uma das três principais de qualquer administração municipal, Ailton Lima assegurou que o projeto frustrado na gestão de Paulinho Serra será ponta de lança de novos tempos em Santo André.

Para provar que está decidido a romper com o processo de inércia improdutiva de uma secretaria que não passa de um puxadinho da Administração Paulinho Serra (assim com o foi com os antecessores,  desde a morte de Celso Daniel), Ailton Lima vai procurar manter reuniões individuais e coletivas com agentes econômicos privados de Santo André: “Os recursos orçamentários da cidade estão fortemente atrelados à livre-iniciativa de pequeno, médio e grande porte; por isso não tem sentido todas essas partes deixarem de participar efetivamente da construção de um projeto que coloque o Desenvolvimento Econômico como porta-bandeira de novos tempos” – afirma Ailton Lima.

Garanti ao candidato à Prefeitura de Santo André que, da mesma forma que me apresentei voluntariamente ao prefeito Paulinho Serra para construir um novo modelo de planejamento econômico, não teria porque não contribuir para que se aproxime de agentes da sociedade produtiva. Nada melhor que, se não tiverem força suficiente para impedir o desgaste do próprio hino do Município, (que trata de “viveiro industrial”, porque os tempos e as circunstâncias são outros), pelo menos encaminhem alternativas compatíveis com o processo de produção respaldado pela digitalização de produtos e serviços, ou seja, de economia inteligente.

Ailton Lima deixa claro que a decisão de concorrer à Prefeitura de Santo André não tem volta. Ele diz saber das dificuldades de enfrentar um prefeito que contará com a máquina e com um capital de relacionamentos que o cargo potencializa. Mas pondera que níveis de desgaste são perceptíveis e, portanto, poderão reduzir drasticamente as vantagens relativas de Paulinho Serra.

Cuidadoso, Ailton Lima não envereda por detalhes táticos e estratégicos que já estariam em fase de estudos para iniciar a arremetida rumo ao Paço Municipal assim que o calendário eleitoral permitir. Prefere a discrição de quem sabe que o período que se abre com o ano novo é de avaliações e considerações.

Redes sociais na mira

A linha da campanha eleitoral vai seguir rigorosamente uma demarcação ética que ao mesmo tempo em que preservaria o respeito aos eleitores, os associaria a um comprometimento com novos tempos.

Ailton Lima prefere não antecipar nada do que virá em forma de oposição mais aberta a Paulinho Serra. Mas realça que as redes sociais não deixarão de constar do portfólio de alternativas de comunicação permanente com os eleitores.

Quando lembrado de que o prefeito Paulinho Serra já faz uso da tecnologia digital para se comunicar com a sociedade em tom de campanha eleitoral antecipada, inclusive contando com pequeno batalhão de guerrilheiros, Ailton Lima sugere que não se pautará por terceiros quando aplicar os conceitos de relação direta com os eleitores. “Meus princípios não serão violentados por força de uma disputa que se apresentará bastante interessante” – afirmou.

Ailton Lima deixa escapar que a campanha rumo à Prefeitura de Santo André obedecerá à lógica do escalonamento natural. Isso significa que não haverá atropelamentos nem empáfia. Que o objetivo principal é chegar ao segundo turno porque a empreitada, se vitoriosa, o alçará à condição de provável vencedor da disputa final já que haveria entre a maioria dos demais concorrentes convergência ao impedimento da reeleição de Paulinho Serra. A maldição do segundo turno, que vem desde Celso Daniel, seria mais uma vez confirmada.

Pressões não adiantaram

Ailton Lima transmite a sensação de que é aquele jogador de futebol que não desiste jamais de uma bola aparentemente perdida. Algumas iniciativas que pretenderam retirá-lo da disputa de outubro próximo foram dissuadidas com a veemência diplomática de quem tem convicções que não passam por guetos de oportunismo individual ou grupal. 

“Quero ser prefeito de Santo André entre outros motivos porque é um desafio recolocar a cidade no eixo de desenvolvimento econômico com profunda inclusão social. Quem conhece a periferia da cidade sabe do que estou falando. É um outro mundo e como outro mundo precisa de um olhar especial. Tanto quanto a classe média cujo índice de ocupação profissional em outros municípios ultrapassa mais da metade da população economicamente ativa. Vamos lutar com anteparo técnico para unir essa ponte de desconforto e de comprometimento da qualidade de vida geral” – afirmou.

Ainda tenho mais a escrever sobre o café da tarde com Ailton Lima. Nos próximos dias devo retomar aquele encontro.

Leia mais matérias desta seção: