Imprensa

Nove meses de cinco anos que
transformariam o Diário (22)

  DANIEL LIMA - 13/01/2020

Chegamos à edição número 29 da newsletter Capital Digital Online, ferramenta digital que criei para disseminar os conceitos do Planejamento Estratégico Editorial que preparei para o Diário do Grande ABC naquele segundo semestre de 2004, quando assumimos o cargo de diretor de Redação. Era preciso destilar, diariamente, pitadas de motivação com fermentação técnica para melhorar a qualidade do produto. Era 10 de novembro. A newsletter chegaria ao número 61. Isso é história do jornalismo regional. História contada por quem esteve e continuo no front da informação. 

 Edição número 29 

Jornalismo e telenovela,

eis a fórmula do sucesso 

Uma das fórmulas mais poderosas de fazer do jornalismo atividade diária de sucesso de público e bilheteria é inspirar-se na cultura nacional de telenovela. Jornalismo diário e telenovela são semelhantes. Precisamos manter a expectativa dos leitores sobre a edição do dia seguinte. Mas para isso é indispensável que o hoje seja instigante. 

Aos poucos -- e espero que não haja interrupção no processo -- estamos conseguindo amarrar série de pautas sobre as quais devemos impor marcação forte até que se extingam por fadiga do material. CDP, IML, UFABC, orçamentos públicos e tantas outras questões estão vivas nas páginas do jornal. E assim tem de ser. 

Não podemos abandonar o barco temático. Descuidar-se da repercussão de assuntos relevantes é jogar na lata do lixo a oportunidade de saciar o interesse do leitor. É algo como um descuidado autor de telenovela de um capítulo em que a vilã apanha da heroína e, na noite seguinte, espetáculo recomeçado, a cena simplesmente desaparece por negligência ou esquecimento. 

Precisamos arrancar de nossas pautas as matérias varejistas, sem substância, que ficam bem, quando ficam, se bem tratadas, em colunas específicas. Temos de deixar de banalizar nossas páginas. E a melhor maneira de fazer essa obra é contrariar a demanda burra que muitos tentam nos impingir. Vamos reagir. Vamos analisar com mais critério o que é e o que não é interessante aos leitores. 

Não podemos alçar às páginas gente sem expressão. Gente que só faz lobby. Gente que só quer se locupletar. Talvez a licença poética disso tudo seja o InformeDiário. 

Estou preparando série de pautas para a Economia, para a Política e também para Setecidades. São questões que estão aí e que precisam ser colocadas em nossas páginas. 

Aliás, foi o que fizemos nas sete edições da Sabatina Diário. Uniformizamos conceitualmente aqueles encontros. Consolidamos questionamentos que fugiram da extemporaneidade. Vamos insistir em matérias que digam respeito à metropolização do Grande ABC. Precisamos transpor para o jornal o compromisso histórico da revista LivreMercado nessa área. 

Essa é uma das razões, aliás, que me fez produzir a matéria de hoje sobre o novo remelexo geopolítico da Região Metropolitana de São Paulo. Temos mais assuntos para tratar. É uma pena que não contamos, no jornal, com especialista no assunto. Porque ao longo dos anos o jornal ignorou o assunto, embora esteja na boca do forno. 

Vamos transformar questões metropolitanas em telenovelas também. Para chamar audiência constante. Vivemos num País de 19 milhões de habitantes, como poderia ser definida a RMSP. Pouca gente se apercebeu disso. Preferem os jornais paulistanos direcionar esforços a Brasília. Por isso cobrem muito mal a administração municipal paulistana e, principalmente, a atuação do governo do Estado na RMSP. Não é à toa que, em período eleitoral, descarrega-se um caminhão de informações verdadeiras, mas oportunistas. 

Bola para a frente. Não esqueçamos das telenovelas que nos prendem. O jornal precisa ser um grande CDP de informação e análise regionais. Com a diferença que o "P" não deve ser de provisório, mas de permanente.

Leia mais matérias desta seção: