Imprensa

30ANOS: otimismo marca
perspectiva de integração

  DANIEL LIMA - 23/07/2020

Naquele final de século, mais precisamente em agosto de 1999, quando a revista LivreMercado publicou mais um resultado da chamada Pesquisa LM, a institucionalidade do Grande ABC estava em alta. Acreditava-se muito na possibilidade de o conjunto de prefeitos agirem de forma integrada. Eram tempos em que pontuava Celso Daniel, liderança máxima do arcabouço de regionalidade mesmo que sofrido, mas insistentemente levado adiante.

Esta é a nonagésima-quinta edição da série 30ANOS do melhor jornalismo regional do País, uma multiplicação de análises da revista de papel LivreMercado e desta revista digital.  Sigam o passado para entender o presente. 

Problemas não

tiram confiança 

 DANIEL LIMA - 05/08/1999

Uma nova rodada da Pesquisa LM traz boas e más notícias para o Grande ABC. São mais boas do que más notícias. Um exemplo: a maioria dos leitores de LivreMercado que responderam ao questionário reconhece os graves problemas que atingem a região por causa da globalização econômica e da abertura dos portos, mas acredita na recuperação. São 66% dos leitores que marcaram essa posição entre 186 questionários respondidos de um universo de 558 enviados a dirigentes de diversas atividades sociais e econômicas do Grande ABC. 

A primeira parte de mais uma Pesquisa LM foi divulgada na edição de julho da revista e apontou os três maiores problemas do Grande ABC entre seis relacionados. Ganhou disparado a preocupação de 82% dos leitores com o esvaziamento econômico regional, seguido de perto pelo agravamento da exclusão social que embute o crescimento dos índices de criminalidade e, como terceiro ponto mais inquietante, a falta de representatividade político-institucional da região nas esferas estadual e federal. 

O mesmo questionário que desencadeou aquelas respostas reunia as questões publicadas nesta edição. Juntando-se as duas pontas desse novelo de indagações e respostas, a conclusão que se pode tomar é que, apesar de todas as dificuldades, grande parte dos leitores revela-se esperançosa e confiante de viver dias melhores no Grande ABC. 

O posicionamento de 66% dos pesquisados sobre a confiança de o Grande ABC ajustar-se aos efeitos da globalização e da abertura econômica não esconde um grupo de 27% que, mais que esperança e confiança, revela-se amplamente favorável às transformações que sacudiram a região e o Brasil nesta década. Eles consideram positivo o efeito duplo de abertura com globalização e veem motivos para comemorar o processo.

Estão inteiramente do lado de quem considera a nova realidade um chute nos fundilhos da improdutividade. Já o contingente de leitores que interpretam a situação regional como catastrófica, absolutamente sem saída, é formado por apenas 7% dos que responderam à pesquisa. 

Prefeitos bem na fita 

Outra pergunta da pesquisa coloca os prefeitos do Grande ABC em situação bastante satisfatória, o que chega a ser um grande feito, considerando-se o desprestígio da classe política nacional. Apenas um em cada quatro leitores pesquisados optou pela resposta de descrédito à atuação dos prefeitos da região e à luta que desenvolvem pela integração regional. Eles preferiram optar pela alternativa do Grande ABC unificado, isto é, sob uma única administração municipal, como nas primeiras décadas deste século. 

A maioria (42%) concorda com a mobilização dos prefeitos em torno de objetivos regionais comuns, mas faz ressalvas à baixa representatividade político-institucional externa da região, em sincronia, portanto, com a primeira parte das questões divulgada na edição de julho. Outros 33% dos leitores optaram pela resposta que consagra a integração regional dos prefeitos sem senões e se mostram amplamente confiantes numa reviravolta. 

Somando-se os percentuais das respostas das duas primeiras alternativas da indagação, de confiança irrestrita aos prefeitos e de confiança limitada pela fragilidade político-institucional externa, atinge-se a marca de 75% de apoio às políticas públicas e institucionais que se desenvolvem no Grande ABC. 

Lazer mais maduro 

Outra questão colocada aos leitores também oferece resultados que embalam a confiança. Trata-se do tempo dedicado ao lazer na região, que embute o conceito sobre a capacidade local de atender às necessidades de entretenimento da população. Ao se constatar que a maioria dos leitores (58,5%) se pronunciou usuária da infraestrutura de lazer e entretenimento da região, e que 37% ainda considera que falta muito para o Grande ABC ter as alternativas que outras localidades oferecem, verifica-se que a imagem de região exclusivamente voltada para o trabalho já não se concilia com a realidade prática. 

A interpretação de que o Grande ABC reúne equipamentos capazes de absorver boa parte da procura por diversão ganha ares de maturidade quando se conclui também que apenas 4,5% dos leitores pesquisados entendem que a região dispõe de infraestrutura compatível com a demanda no setor e que as opções disponíveis na Capital do Estado e em outras regiões não influenciam na escolha de alternativas. 

Alternativas escolhidas 

Qual sua concepção sobre o confronto globalização versus regionalização, tendo como palcos o Grande ABC e o mundo? 

a) Estamos perdendo feio essa disputa, porque não nos preparamos para isso por causa do regime econômico fechado demais que, de repente, foi excessivamente aberto e nos pegou no contrapé. Acho que não escaparemos de uma catástrofe, que só está começando. 7% 

b) Temos evidentes problemas a resolver, por causa de um passado econômico fechado demais e de um presente até recentemente aberto excessivamente. Acho que já estamos reagindo e temos condições de voltar a ser o que era -- uma região pujante, respeitadíssima. 66% 

c) Se há algo de bom que aconteceu com o Grande ABC e com o País foi a abertura dos portos a bordo da globalização econômica. Temos de comemorar essa transformação. Só os mais competentes resistirão ao processo de transformações. Acabou a improdutividade. 27% 

O que acha da atuação dos prefeitos da região? 

a) Pela primeira vez na história estamos vendo prefeitos dos sete municípios da região trabalhando unidos. Isso é bom sinal. Dá para começar a acreditar que alcançaremos políticas públicas que tanto fazem falta. 33% 

b) É verdade que temos prefeitos trabalhando em conjunto, mas não podemos acreditar que teremos dias melhores quando se sabe que a representatividade política no País é distorcida e o princípio de um-eleitor-um-voto não é respeitado. Dependemos demais de Brasília. 42% 

c) Embora digam que os prefeitos estejam trabalhando em conjunto, na verdade eles se preocupam principalmente com seus respectivos territórios. O maior problema do Grande ABC é exatamente essa divisão em sete municípios. Se fosse apenas um, como antigamente, ficaria mais fácil administrá-lo. 25% 

Como dedica seu tempo de entretenimento, de diversão: 

a) Acho que o Grande ABC tem todas as condições para eu me ocupar fora do trabalho e dos estudos. Temos infra-estrutura no setor de entretenimento que não fica devendo nada à Capital ou outras regiões. Por isso passo a maior parte do meu tempo de lazer aqui. 4,5% 

b) O Grande ABC melhorou muito a infraestrutura de entretenimento nos últimos anos, por isso já consigo me programar para ter atividades locais, não exclusivamente fora daqui, como antigamente. 58,5% 

c) Ainda falta muita coisa para o Grande ABC ter alternativas de lazer e entretenimento que outras regiões oferecem, especialmente São Paulo. Quem quer mesmo se divertir, descansar, recarregar as baterias, não fica no Grande ABC. 37% 

Veja as respostas 

Abelina Madeira de Almeida (a, b, d), Adriano Ferreira Calhau (a, b, f), Alberto João Galantini (c), Alcindo João (a, c, f), Aleksandar Jovanovic (a, b, c,), Alessandro Zanoli Bernardo (b, d, f), Alfredo Rocha dos Santos (a, c, f), Ana Maria Bicalho Perrucci (b, c, f), Ana Maria Larente Frizon (a, c, d), Angela Athayde (c, d, f), Angela Tasca (a, d), Angelo Gaiarsa Neto (b, c, f), Antonio Carlos Cattai (a, b, c), Antonio Carlos Gogoni (a, b, f), Antonio Joaquim Andrietta (a, c, f), Antonio José Monte (a, c, f), Antonio Leite da Silva (a, b, d), Antonio Santos (c, e, f), Antony David Miller (ND), Ary Silveira Bueno (b, c, d), Benedito Carlos Maragno (a, b, c), Bob Sharp (ND), Camila Socreppa Fonseca (a, b, d), Carlos Augusto César Cafu (ND), Carlos Cavalheiro (a, b, f), Carlos Eduardo de Carvalho (a, b, f), Carlos Luiz Vitiello (a, b, f), Cassia Maria Del Papa (a, b, d), César Garbus (ND), Claudio Augusto Rosa Lopes (a, c, f), Cláudio Martinez (ND), Cyro Masci (a, b, d), Dalila Teles Veras (ND), Daniel Palamar Menghini (a, b, c), Diniz Domingues Conde (a, b, f), Dorival da Rocha Mello (a, b, f), Dorival Pereira de Souza (a, b, f), Edison Roberto Parra (a, c, f), Edson Caetano Mazucatto (a, b, d), Edson Carlos Ceruti (ND), Edson Eden dos Santos (ND), Edson Lopes dos Santos (a, b, f), Elian Saraiva Barbosa de Santana (a, d, e), Emílio Jaldin Calderon (a, b, c) (ND), Ernesto Albuquerque DAndrea (a, b, d), Eugenicio Severino da Silva (a, c, f), Eugenio Belmonte (c, d, f), Fábio Duílio Pisaneschi (a, b, d), Felix Saverio Majorana (a, b, f), Ferdinando Cosmo Credidio (a, b,), Fernando de Azevedo (a, b, c), Fernando de Paula (b), Fernando Henrique Nogueira (c), Fernando Jorge Ferreira (b, c, d), Fernando Tadeu Perez (a, b, c), Filipe dos Anjos Marques (a, b, f), Franco Masiero (a, b, c), Gevilson Camata (a, b, d), Gilson Menezes (a, b, f), Giorgio Guardalben (a, b, f), Guilherme de Jesus Paulus (a, b, f), Heitor Brandi Vieira (a, b, d), Heleni de Paiva Lino (a, b, f), Hélio Mitsuo Tanaka (a, b, f), Heloisa Maria Gomes (b), Hiroyuki Minami (ND), Humberto Sérgio Batella (a, c, f), Idivaldo da Cunha (ND), Irineu Bagnariolli Júnior (a, b, f), Ivan Cavassani (a, b, f), Ivan Martins (a, c, f), Ivete Garcia (a, b, d), Jacob Daghlian (ND) Jaime Guedes de Souza (a, b, f), Jalner Marcos Reis (a), Jane Calvitti (a, b, f), Jayme de Oliveira Júnior (a, b, f), Jerson Ourives (ND) João Ricardo Santa Rosa (a, b, c), Joaquim Henrique dos Santos (a, b, f), Jorge Eduardo Cestari Felix (a, b, d), José Antonio Davantel (ND), José Batista Gusmão (ND), José Cardoso da Silva (b, d, f), José Carlos Brunoro (a, b, f), José Carlos de Lira (a, c, f), José do Nascimento (a, b, f), José Eduardo Giorfi (ND), José Fioravanti Conde de Lima (a, b, e), José Francisco Alves (a, b, c), José Luiz Heierling (b, c, f), José Luiz Rodriguez (ND), José Miguel Fagundes (a, c, e), José Ricardo Oliva Hernandes (b, c, f), José Ricardo Tomazeli Campos (a, b, f), José Roberto Manzoni (a, c, f), José Vicente Guerra (a, b, d), José Walter Tavares (a, b, d), Juan Alexandre Suarez (c), Juarez de Marcos Jardim (a, c, d), Julio Abel Maria (a, b, c), Jurailton Calixto da Silva (a, c, f), Karin Edith Krause (a, c, d), Klinger Luiz de Oliveira Sousa (a, b, f), Lauro Gilmar Teixeira (b, c, f), Levi Fornasieri (b, c, f), Lourdes Massolini (a, f), Lourival Vitor Cardoso (a, b, f), Luadir Lino Grechi (ND), Luciano Sathles (ND), Luiz Antonio Lepori (b, c, f), Luiz Cesario França (a, c, f), Luiz Gonzaga Alves (a), Luiz Moan Yabiku Júnior (ND), Luiz Trindade (a, c, f), Marcelino Luz Alves (b),  Marcelo Augusto Vallim Rosa (a, c, f), Marcelo Gallo (a, b, f), Marco Aurélio Brietzke (a, d, f), Marco Lucio Tancradi (ND), Marcos Marcelino (a, c, f), Maria Augusta Paranhos Faro (a, b, c), Maria do Rosario de Lima (b, c, f), Maria José Rodrigues de Freitas (a, c, d), Maria Miriam de Lima Ferrari (ND), Mário Massao Ishihara (a, c, f), Mauricio Langreney (b, e, f), Maurício Mindrisz (ND), Mauro Andrietta (a, c, f), Milton Bigucci (a, b, f), Miriam Belchior (a), Moacir Barbosa de Mello (a, b, f), Nelson Roberto Mazzucatto (a, b, d), Nestor Pereira (a, b, d), Nívio Roque (b, c, f), Octavio Leite Vallejo (ND), Octavio Manente Júnior (ND), Orlando Pavani Júnior (a, c, f), Paolo Cristiano Gambogi (ND), Paulo Hoffman (a, b, f), Paulo Rafael Sandrim (a, b, d), Paulo Roberto de Francisco (ND), Pedro Antonio Batissaco (a, b, f), Pedro Silvério de Oliveira (a, c, f), Plínio Ramacciotti (a, c, d), Priscila Pereira (ND), Raquel Ferreira Piva (a, b, f), Renê Naves (a, b, f), Ricardo Alvarez (b), Ricardo Fioravanti (a, b, d, f), Ricardo Fonseca (ND), Richard Iasbeke (a, d), Roberto Antonio Filetti (a, c, f), Roberto Caetano di Fonzo (a, b, d), Roberto de Castro Pereira (a, d, e), Roberto Folgueral Rodrigues (a, b, f), Roberto Herrera (a, b, c), Roberto Vaz Galiano (a, b, f), Robson Mancini (a, c, f), Rogério da Silva Fragale (a, b, c), Rogério Gherbali (a, b, c), Romualdo Magro Júnior (a, b, f), Rosana Carnevalli (a, c), Rosangela Caetano (b, c, d), Sebastião Marques Zanforlim (b, e, f), Sérgio Novais (b, d, f), Shotoku Yamamoto (a, b, d), Sueli  Bellon (a, d, f), Terezinha Pasqualini Miquelin (a, b, f), Ubirajara Rioto (a, c, f), Uilson Carlos Bastos Coimbra (c, d, f), Valdinéia Tereza Bastos Cavalaro (a, b, f), Valdison Moreira (a, b, f), Vera Lúcia de Gusmão (a, c, f), Vera Lúcia Gonçalves Dias Mazzoni (a, e, f), Vera Lúcia Maluly (ND), Virgílio do Prado (a, b, f), Vladimir Chiea (ND), Wagner Innarelli (a, b, f), Wagner Zago Nogueira (a, b, f), Walter Bottura Júnior (a, c, f), Walter Sérgio Ferraresi (a, b, d), William Pesinato (a, b, d), Wilson Afonso Rosa (a, c, f), Wilson Donizetti Cataldi (a, b, d), Wilson Roberto Bonfim (b, c, f). 

Leia mais matérias desta seção: