Esportes

Santo André no mata-mata;
Água Santa de novo rebaixado

  DANIEL LIMA - 27/07/2020

O primo-pobre Santo André se deu melhor que o primo-rico Água Santa de Diadema no principal campeonato estadual do País, a Série A-1 do Paulista. Depois de paralisação de mais de quatro meses por causa do vírus chinês, as duas rodadas que faltavam à complementação da fase classificatória foram contrastantes para o futebol da região: o Santo André perdeu a liderança geral para o Red Bull Bragantino, mas está no mata-mata das quartas de final contra o Palmeiras. E o Água Santa foi rebaixado à Série A-2.  

A expectativa que resta até que se conclua a disputa da Série A-2 é que pelo menos uma das duas vagas de acesso seja alcançada pelo futebol da região. Assim, estaria garantida a reposição. Quem está mais próximo disso é o São Bernardo Futebol Clube, que lidera a fase classificatória e é um dos favoritos ao título.  

O São Caetano está entre os primeiros oito classificados, mas no remelexo dos números também está ameaçado de rebaixamento. Mais que isso: em crise diretiva após o fechamento das torneiras de doações milionárias do patrono Saul Klein, o São Caetano está à deriva. O elenco está com os salários atrasados e um aventureiro apesentado pelo ex-presidente Nairo Ferreira anunciou investir forte mas desapareceu em seguida. Resta pouca possibilidade de fazer da reta de chegada o caminho rumo à classificação.  

Nem uma coisa nem outra 

A decepção mesmo é o Água Santa de Diadema. Depois de conquistar no ano passado uma vaga na Série A-1 de forma irregular, o empresariado de transporte coletivo que sustenta a equipe investiu forte para colocar a equipe entre os oito primeiros da competição e também na Série D do Campeonato Brasileiro do ano que vem.  

Ao restarem apenas 30 minutos para o encerramento do jogo com o Palmeiras, no Allianz Parque, e com um a zero no placar, o Água Santa conseguia o duplo feito. Mas aí veio a reação do Palmeiras, que virou o jogo e liquidou com o sonho da equipe de Diadema.  

Além de voltar à Série A-2 do ano que vem, o Água Santa também está fora da competição nacional, da qual o São Caetano participa este ano e o Santo André no ano que vem. 

O fato é que o Água Santa conheceu o reverso da medalha da festa que fez pelo acesso pirata no ano passado. A equipe subiu para a Primeira Divisão do Estado pelo elevador de serviços e desceu de elevador panorâmico.  

Apenas para lembrar os desmemoriados ou os descuidados: o Água Santa terminou a Série A-2 do ano passado na terceira colocação. Não teria respaldo legal, definido nos regulamentos das competições dirigidas pela Federação Paulista de Futebol, para chegar à Série A-1 por causa da fusão entre o Bragantino e o Red Bull.  

O regulamento, esmiuçado por especialista constitucional, não só bloqueava o acesso do Água Santa como também garantia a permanência do São Caetano, que terminou a Série A-1 na penúltima colocação. Tudo em vão. O Água Santa ganhou no tapetão por razões exploradas massivamente por CapitalSocial e ignoradas pela maioria da mídia.  

Santo André bem melhor  

A campanha do Santo André foi bem melhor que a do Água Santa. A equipe dirigida pelo técnico Paulo Roberto Santos ganhou seis dos 12 jogos, com dois empates e quatro derrotas. Marcou 14 gols e sofreu 13. Já o representante de Diadema ganhou dois, perdeu cinco e empatou cinco dos 12 jogos. Marcou sete gols e sofreu 15. Ou seja: o Santo André (20 pontos) fez quase o dobro de pontos do Água Santa (11).  

Na classificação geral, que descarta os grupamentos, o Santo André só ficou atrás do Red Bull Bragantino (23 pontos), Palmeiras (22 pontos) e São Paulo (21). Já o Água Santa de 11 pontos conquistados, só superou o Oeste de Barueri entre os 16 participantes.  

Do céu ao inferno 

Quanto entrou em campo para enfrentar o Palmeiras, o Água Santa registrava 52,6% de probabilidade de ser rebaixado. A métrica foi publicada pelo site Chance de Gol, especializado em definir valores percentuais como resultado de série de definições envolvendo equipes de futebol.  

O Água Santa só era superado pela Ponte Preta de Campinas (54,3%) e disparadamente pelo Oeste de Barueri (71,8%). As três equipes integraram o Grupo 1 da fase classificatória. Botafogo de Ribeirão Preto (7,8%), Ituano (13,5%) e Ferroviária de Araraquara (0,02%) completavam a lista de ameaçados pelo Chance de Gol. Caíram Água Santa e Oeste. E a Ponte Preta que venceu o Mirassol garantiu uma vaga na fase de mata-mata.  

Se depender dos cálculos semelhantes do Chance de Gol, o Santo André está praticamente alijado da disputa pelo título do Campeonato Paulista, do qual esteve muito próximo em 2010, quando decidiu com o Santos em dois jogos. O site registra o Santo André cm apenas 3,6% de probabilidade de conquistar o título, enquanto o Palmeiras, adversário do mata-mata das quartas de final, lidera as projeções com 27,5%.  

Quem mais ameaçaria o Palmeiras é o Red Bull Bragantino, que contaria com 23,8% de possibilidade de comemorar a temporada paulista. São Paulo (14,8%), Santos (14,5%), Corinthians (7,2%), Mirassol (5,2%) e Ponte Preta (3,0%) completam a grade. 

Leia mais matérias desta seção: