After falling in replica handbags love with Beatrice,gucci replica handbag Pierre immediately worked hard. In 2009, after dropping out of college, he took over a hermes replica handbags construction company founded handbag replica by his father and became a replica handbags major shareholder. Later he became the vice president of the Monaco Yacht Club. Personally, it has reached 50 million US dollars.

Quem Somos

Estamos no mundo da comunicação digital. Começamos lá atrás, em 2001, com a newsletter CapitalSocial Online, substituída pelo blog que superou dois anos de permanência no ar. E festejamos CapitalSocial. A diferença entre essas três etapas é que www.capitalsocial.com.br é a associação de maturidade, conhecimento e abrangência dos veículos antecessores. O endereço do melhor jornalismo do Grande ABC, do jornalismo que faz da informação plataforma para voos analíticos sempre diferenciados, foi oficialmente lançado em 1º de setembro de 2009.

O que os leitores acompanham é muito mais que um conjunto de obras de uma carreira jornalística de 50 anos de atividades. Daqueles tempos de repórter da revista Cinelândia e da Rádio Luz de Araçatuba, passaram-se mais de cinco décadas. Uma experiência e tanto, dirão os apressados. Nada disso: sinto-me como se fosse aquele rapazola de 15 anos, cheio de esperanças, incansável no ofício de ler com prazer e de escrever como válvula de escape psicológica.

O que os leitores encontram na revista digital CapitalSocial é muito mais que os trabalhos deste profissional. Outros jornalistas e agentes da sociedade do Grande ABC estão incorporados neste veículo.

O banquete de melhor qualidade editorial do jornalismo do Grande ABC reúne também o que de mais importante armazenei no acervo de 19 anos de circulação da revista LivreMercado que criei e dirigi por quase duas décadas.

Por isso, é enganosa a orfandade da LivreMercado que conduzi com uma equipe de profissionais de Redação. Todos aprendemos a fazer jornalismo analítico numa praça inóspita, de predominância opressora do regime fastfoodiano — aquele tipo de Imprensa que faz jus à materialidade do papel jornal, descartável no dia seguinte. Um modelo consagrado ao longo de dois séculos no Brasil, respeitadíssimo inclusive por este jornalista, mas incapaz de preencher a fome de conhecimento e de curiosidade de quem quer mais.

CapitalSocial surgiu para o mundo digital com a garantia de que carrega pelo menos duas décadas de estoque material de conhecimento do Grande ABC. Foram tantas e profundas as coberturas jornalísticas das quais participamos direta e indiretamente que cometeríamos assassinato se não introduzíssemos os melhores momentos neste espaço. E são tantos os melhores momentos, mas tantos, que possivelmente incorremos em pecado ao definir de melhores momentos os insumos editoriais disponíveis — e outros que estão sendo resgatados.

Também introduzimos neste novo espaço grande parte das 152 edições da coluna “Contexto”, que publiquei no período de julho de 2004 a abril de 2005 no Diário do Grande ABC. Exerci ali, durante aquele período, a função de Diretor de Redação. Isso mesmo, foram 153 artigos em menos de 270 dias de trabalho. Antes disso, entre os anos 1970 e 1980, atuei como repórter e editor esportivo, editor de Economia e coordenador de produção, nomenclatura criada pelo diretor de Redação Fausto Polesi para compartilhar o comando prático da publicação com Ademir Medici e Valdir dos Santos — uma experiência então inédita naquele jornal que, abaixo do diretor, sempre adotara a figura de chefe de Redação.

Dividimos a publicação em editorias temáticas e algumas outras especiais. Economia, Imprensa, Administração Pública, Política, Regionalidade, Sociedade, Esporte e Caso Celso Daniel se juntam a Metamorfose econômica, Entrevista Especial, Entrevista Indesejada e Nosso Século XXI como alternativas para quem quer se surpreender com prospecção deste veículo de comunicação.

Sabemos que publicações digitais ainda não têm o peso dos veículos impressos mais qualificados ou mesmo destes tempos fastfoodianos. Por isso, difundiremos mais e mais os preceitos de CapitalSocial. Somos uma revista que se recusará sempre e sempre a frequentar a superficialidade informativa. Acreditamos que não será preciso muito esforço de CapitalSocial para sensibilizar internautas. Os leitores mais antigos reconhecem essa característica e a valorizam.