Imprensa
A- A+

História do melhor jornalismo
regional do País. Leiam! (49)

  DANIEL LIMA - 16/07/2018

Reservamos para hoje no processo de recuperação do melhor jornalismo regional do País duas matérias que produzimos para o Grupo Estado, do jornal O Estado de S. Paulo e do Jornal da Tarde. Os textos foram publicados em agosto de 1986 e maio de 1987. Quebramos um tabu: mostramos o que era a administração do primeiro prefeito petista eleito no País, o então metalúrgico Gilson Menezes. Seguem alguns parágrafos das duas matérias. Os textos completos estão acessíveis nos respectivos links. Primeira matéria: “Quarenta meses depois de assumir a Prefeitura de Diadema, na região do ABC Paulista, o Partido dos Trabalhadores se vê numa incômoda e desgastante situação, reconhecida até pela direção nacional. A tumultuada administração do ex-metalúrgico Gilson Menezes deverá provocar mudanças de comportamento do PT — conforme admite o secretário-geral do partido, Francisco Weffort. A linguagem francamente radical deverá ceder lugar a uma tomada de posição mais para o centro, “porque precisamos saber distinguir bem as diferenças entre a retórica e a ação” — disse Weffort. E as diferenças são relevantes. O PT transformou Diadema num barril de pólvora social, político e econômico”. Segunda matéria: “O transporte coletivo de Diadema, desde o final de 1986 sob a responsabilidade da única Prefeitura administrada pelo Partido dos Trabalhadores no Estado de São Paulo, está um verdadeiro caos. A conclusão, para desgosto do prefeito Gilson Menezes, não é dos inúmeros grupos de oposição, mas da Comissão Especial de Inquérito aprovada pela Câmara para desvendar todos os lances que cercaram a decretação do estado de calamidade pública, em outubro do ano passado, com a consequente encampação e compra da frota de 56 ônibus da Viação Diadema. Os três vereadores integrantes da CEI — o comunista José Rocha, o peemedebista Sebastião de Mello e o ex-petista e hoje avulso Dorival Lopes — constataram, antes mesmo de completarem as investigações, a absoluta deterioração do sistema de transporte coletivo de Diadema. Mas ainda não estão satisfeitos: eles procuram confirmação das denúncias de que o prefeito teria recebido “por fora” CZ$ 600 mil quando da compra (CZ$ 18 milhões) dos ônibus.

11/08/1986 - Gilson Menezes sofre desgaste e coloca PT em xeque em Diadema 

07/05/1987 - Estatização de transporte coletivo em Diadema entra em parafuso

Leia mais matérias desta seção:

Administração PúblicaEconomiaImprensaEsportesRegionalidadePolíticaCaso Celso DanielSociedadeMetamorfose Econômica

Entrevista EspecialNosso Século XXI (1ª Ed.)Nosso Século XXI (2ª Ed.)Mercado ImobiliárioEntrevista IndesejadaMeias Verdades

Quem somosSeçõesLinksAnuncieContato

Capital Social | Regionalidade para ser impressa

Fone: (11) 4425-6449 • Email: capitalsocial@capitalsocial.com.br

© 2016 | desenvolvido por Agogô e Orion Public